07 de agosto de 2020

MAIS VOCÊ

O VÍRUS DA RAIVA ESTÁ PERTO DE NÓS

750

Santa Catarina teve o primeiro caso de morte por raiva humana em 38 anos.

Araiva é doença causada pelo vírus Lyssavirus, da família Rhabdoviridae, altamente letal, que é transmitida para mamíferos, incluindo os humanos. A forma de transmissão é através da saliva de animais contaminados, geralmente através de mordidas, ou pelo contato da saliva com uma ferida de pele.

No seu pico de ação viral, humanos e animais tendem a morder todos os possíveis hospedeiros que estiverem ao seu alcance. Muitos entendem isso como um ato de fúria ou raiva. Porem nada mais é do que o vírus tentando se proliferar e se multiplicar, já que sua forma de transmissão é através da saliva junto com a mordida.


Os animais que podem se contaminar com esse vírus são: cães, gatos, coelhos, vacas, cavalos, cabras e furões. Além de animais selvagens como o morcego, castores, raposas, macacos, gambás entre outros.
QUAIS OS SINAIS CLÍNICOS?

Após a contaminação tanto do animal quanto do humano, o vírus chega ao sistema nervoso central causando encefalite aguda, ou seja, uma inflamação cerebral, tendo evolução rápida. Porém esse vírus pode ficar encubado no organismo humano e vir a manifestar seus sinais clínicos entre 3 meses a 1 ano. Já o animal, leva de 2 a 5 dias para o início dos sinais clínicos, e vem a óbito em até 7 dias após.


Dentre os sinais clínicos estão: salivação em excesso, dificuldades de deglutição (comer, beber água), convulsões, dor no local da mordida, perda de sensibilidade ou formigamento na região aonde ocorreu a contaminação, episódios de febre, excitação e ansiedade.


COMO PREVENIR A CONTAMINAÇÃO?

A vacinação antirrábica é a forma mais eficaz de prevenção contra a raiva, principalmente nos animais de estimação. Tanto cães como gatos devem receber a primeira dose de vacina antirrábica aos 4 meses de idade, sendo obrigatória por lei a repetição uma vez ao ano.


O mês de agosto é conhecido como o mês da vacinação antirrábica, para que ocorra a vacinação em massa de todos os animais. Caso seu animal ainda não foi vacinado, não espere, procure um médico veterinário para a aplicação da vacina o quanto antes.


Em nossa rotina clínica de vacinação percebemos que tutores de cães possuem mais preocupação em relação a imunização, do que os tutores de gatos. Vale ressaltar que no caso ocorrido em SC, o vírus foi transmitido ao humano por um felino.


A conscientização da população sobre a imunização de cães e gatos é de extrema importância já que não tratamento efetivo conhecido para humanos e animais portadores do vírus.

TALVES VOCÊ SE INTERESSE

ARTIGOS RELACIONADOS

Um estudo sobre casais feito pela Universidade do Estado de Utah em parceri...

DESCOBRINDO SABORES Nesses 20 anos de rede Ítalo Supermercados conquistou...

A Cresol lançou recentemente seu novo conceito em uma campanha de marketin...

Confira os clicks sociais de Fco. Beltrão

No último dia 12 de fevereiro a Cresol Tradição foi premiada por atingir...

Com uma apresentação de gala, a equipe do Técnico Paulinho Gambier derru...

Essa técnica é diferente da forma aplicada em mulheres. Ela leva em consi...

Aimportância em qualquer projeto de interiores. Os lustres entram como ite...

0 Comentários

DEIXE O SEU COMENTÁRIO PARA ESSE ARTIGO