13 de outubro de 2019

MAIS VOCÊ

O VÍRUS DA RAIVA ESTÁ PERTO DE NÓS

176

Santa Catarina teve o primeiro caso de morte por raiva humana em 38 anos.

Araiva é doença causada pelo vírus Lyssavirus, da família Rhabdoviridae, altamente letal, que é transmitida para mamíferos, incluindo os humanos. A forma de transmissão é através da saliva de animais contaminados, geralmente através de mordidas, ou pelo contato da saliva com uma ferida de pele.

No seu pico de ação viral, humanos e animais tendem a morder todos os possíveis hospedeiros que estiverem ao seu alcance. Muitos entendem isso como um ato de fúria ou raiva. Porem nada mais é do que o vírus tentando se proliferar e se multiplicar, já que sua forma de transmissão é através da saliva junto com a mordida.


Os animais que podem se contaminar com esse vírus são: cães, gatos, coelhos, vacas, cavalos, cabras e furões. Além de animais selvagens como o morcego, castores, raposas, macacos, gambás entre outros.
QUAIS OS SINAIS CLÍNICOS?

Após a contaminação tanto do animal quanto do humano, o vírus chega ao sistema nervoso central causando encefalite aguda, ou seja, uma inflamação cerebral, tendo evolução rápida. Porém esse vírus pode ficar encubado no organismo humano e vir a manifestar seus sinais clínicos entre 3 meses a 1 ano. Já o animal, leva de 2 a 5 dias para o início dos sinais clínicos, e vem a óbito em até 7 dias após.


Dentre os sinais clínicos estão: salivação em excesso, dificuldades de deglutição (comer, beber água), convulsões, dor no local da mordida, perda de sensibilidade ou formigamento na região aonde ocorreu a contaminação, episódios de febre, excitação e ansiedade.


COMO PREVENIR A CONTAMINAÇÃO?

A vacinação antirrábica é a forma mais eficaz de prevenção contra a raiva, principalmente nos animais de estimação. Tanto cães como gatos devem receber a primeira dose de vacina antirrábica aos 4 meses de idade, sendo obrigatória por lei a repetição uma vez ao ano.


O mês de agosto é conhecido como o mês da vacinação antirrábica, para que ocorra a vacinação em massa de todos os animais. Caso seu animal ainda não foi vacinado, não espere, procure um médico veterinário para a aplicação da vacina o quanto antes.


Em nossa rotina clínica de vacinação percebemos que tutores de cães possuem mais preocupação em relação a imunização, do que os tutores de gatos. Vale ressaltar que no caso ocorrido em SC, o vírus foi transmitido ao humano por um felino.


A conscientização da população sobre a imunização de cães e gatos é de extrema importância já que não tratamento efetivo conhecido para humanos e animais portadores do vírus.

TALVES VOCÊ SE INTERESSE

ARTIGOS RELACIONADOS

Amente funciona como uma fábrica e aquilo que é pensado durante todo dia...

Segundo psicólogo, ataques homofóbicos podem ter relação com opção se...

Como anda sua conversa com o espelho? O que você tem dito para si mesma? E...

Cuidados com cabelos e barba ficaram mais frequentes. Linha Homem da Bio Ex...

Abril em Milão é sinônimo da maior e mais importante feira que a cidade...

Amicropigmentação conquistou muitas mulheres por ser uma opção fácil,...

A alimentação dos pais serve como modelo para os filhos, influenciando o...

O verão, ao meu olhar é a melhor de todas as estações. Pelo menos para...

0 Comentários

DEIXE O SEU COMENTÁRIO PARA ESSE ARTIGO